Páginas

domingo, 27 de setembro de 2015

Desfile em comemoração aos 63 anos de emancipação política de Vitorino Freire

No último dia 25 Vitorino completou 63 anos de emancipação política. Diferentemente de épocas passadas, as comemorações dos últimos aniversários têm se tornado monótonas e aparentemente um tanto quanto forçadas, já não se faz mais por amor ou por orgulho de ser vitorinense; me refiro em especial ao tradicional desfile do dia 25, que aliás não é mais do dia e sim da noite do dia 25.

O desfile desse ano, assim do ano passado, foi realizado a noite. É compreensivo devido ao calor e sol escaldante que temos durante o dia e que realmente seria um sacrifício e um perigo à saúde deixar as pessoas por horas em pé marchando em um asfalto em brasa. Todavia, se é pra ser a noite, deveria a administração municipal providenciar condições adequadas para a realização do desfile, como por exemplo um reforço na iluminação artificial no percurso programado e principalmente no ponto alto do desfile que é a chegada a praça.

Outro ponto negativo foi a desorganização e falta de sensibilidade do público, os populares simplesmente não respeitam o espaço reservado para o desfile, não se contentam em ficar nas calçados; pelo contrário, invadem a área do desfile, atravessando de um lado pro outro a todo instante, vendedores ambulantes pedem passagem com seus carrinhos de mão e ao final do desfile, quando cada grupo se apresenta em frente ao palanque, aí sim que o tumulto é grande, ninguém ver nada devido à má iluminação e a multidão que invade a rua e não se ouve direito devido ao som ruim.

Enfim, foi possível perceber que sobrou disposição das escolas e faltou organização do poder público. Não houve qualquer sistema de isolamento no percurso, nem por cordas, nem por seguranças; no inicial a polícia militar até deu apoio com viaturas, mas depois sumiu.

O tema escolhido foi “escritores maranhenses” que cá entre nós não tem nada a ver com o aniversário do município de Vitorino Freire, (nada contra os escritores, são incontestáveis nomes e baluartes da cultura brasileira, orgulho de todo maranhense). Mas como vitorinense, não me senti representado em nenhum momento e acredito que nenhum vitorinense presente também não. Os donos do poder ou aqueles responsáveis por tomar a decisão de homenagear a cidade no dia de seu aniversário e escolhem como tema “escritores maranhenses” só podem é tá de brincadeira.

Ainda que o tema fosse “escritores vitorinenses” faria de longe algum sentido, mas “escritores maranhenses’?! Cadê aqueles que realmente contribuíram e contribuem para a formação e existência dessa cidade? Qual escritor daqueles citados no desfile em alguma de suas obras faz menção ao município de Vitorino Freire? Cadê nossa história? Afinal de contas, quem foi Vitorino Freire? quem é esse que dá nome a essa cidade? O que ele fez? será que ensinaram isso àqueles estudantes que desfilavam?!

Cadê nossos antepassados? Os pioneiros? Os tropeiros, desbravadores... e no presente, cadê a quebradeira de coco babaçu? O lavadeira, o juquireiro? A doméstica? A varredeira de rua que acorda quatro horas da manhã? o gari? Ou mesmo o comerciante? os vendedores? taxistas? E tantos outros profissionais que fazem essa cidade existir e persistir a pesar de tudo. Essas pessoas não são importantes? Será que os escritores maranhenses contribuíram com nossa história mais do que essas pessoas simples que lutam diariamente pela sobrevivência e que levam consigo o orgulho de ser vitorinense?

Apesar da crítica em relação à falta de bom senso dos que acham que os notáveis escritores maranhenses nos representam mais do que a nós mesmos, destaco a boa vontade das escolas, em especial o colégio militar que demonstrou mais uma vez comprometimento, disciplina e amor a Vitorino Freire, fizeram uma belíssima apresentação com muita organização e sincronia.

As escolas estão de parabéns pela vontade que demonstraram, os professores e diretores que a todo instante davam assistência a  seus alunos levando água. Os organizadores e idealizadores de modo geral deixaram muito a desejar e a população por sua vez, por não se sentir representada, apenas assistiu e compareceu como quem assiste a um bloco de carnaval passar.









segunda-feira, 27 de julho de 2015

Um mito


Na última sexta-feita, dia 24/07, morreu a ilustre Maria Helena. Diante do que ela "causou" em Vitorino ao longo de sua vida, não poderíamos deixar de publicar uma singela homenagem e prestar nossos sentimentos à família.

Maria Helena foi uma das pessoas mais conhecidas de Vitorino, com seu jeito extravagante, excêntrico e até debochado, conseguiu se tornar uma pessoa de presença marcante, não só pela sua personalidade, mas também pelo seu modo de se vestir, de agir, de se comportar. Amada por uns odiada por outros, mas sempre despertando curiosidade e atenção.

Sem se importar com as críticas e olhares de reprovação, Maria Helena era autêntica, não se curvava a padrões estéticos de beleza, nunca se deixou levar pela moda ao se vestir, sempre cuspindo na cara da sociedade careta e machista que a rodeava; Maria Helena viveu intensamente a liberdade de ser livre, livre de dogmas, preconceitos, modismos, etiqueta, bons modos e milhares de outros freios que a sociedade usa para reprimir e conter o ânimo e a essência de cada um de nós. Foi autêntica, original, foi ela mesma e ponto final. Viveu como quis, sem se preocupar em agradar ou desagradar quem quer que fosse. Alguém tem dúvida que ela foi feliz? Ela é a prova de que a felicidade vem de dentro para fora e não o contrário. Sempre escapou a qualquer padrão social estabelecido e como se tivesse consciência de que pessoas como ela, que fogem aos padrões, vivem menos, saiu por aí a desfrutar da vida, não se contentando com a segurança de estar em casa, queria mesmo era andar por aí, conhecendo pessoas, descobrindo lugares, falando sobre qualquer coisa e fazendo o que lhe desse na telha.

Viveu livre como um pássaro. Viveu contrariando os padrões e regras impostas e no momento da morte não foi diferente, partiu cedo, sem se despedir, de forma inusitada, surpreendendo a todos como sempre.

domingo, 14 de setembro de 2014

Mais um fiasco de Edinho Lobão em Vitorino

Tentando passar uma imagem diferente da que ficou na primeira visita, Lobinho veio novamente a Vitorino Freire na manhã desse domingo e qual não foi sua surpresa ao perceber que a segunda visita foi ainda mais desastrosa que a primeira.

Em nome unicamente de interesses financeiros, os dois grupos políticos historicamente rivais, se uniram e subiram juntos no mesmo palanque para implorar o voto do povo vitorinense. Apesar da "chamada geral", a quantidade de pessoas que ESPONTANEAMENTE se fizeram presentes foi irrisória.

A maioria dos que apareceram faziam parte da "torcida organizada e paga" de Edinho. Outra parte era de funcionários da prefeitura obrigados a demonstrar apoio e vestir a camisa. Fora estes, era difícil encontrar eleitores por opção e não por obrigação do representante do clã Sarney.

Os dois maiores grupos políticos demonstraram que não tem mais a mesma força de antes. Para aumentar o fiasco, não se ouviu qualquer proposta séria de qualquer candidato, apenas blá blá blá.

A primeira bizarrice do dia foi o candidato Juscelino Filho falar que o "povo maranhense não precisa de mudança" que a "mudança por onde passou só acabou com tudo".(risos). Em outro momento, o mesmo candidato se declarou que "a partir de agora estamos juntos", (porque lhe convém, é claro), e colocou-se, sem qualquer modéstia, como a nova liderança política de Vitorino Freire; não se sabe como ele chegou a essa conclusão, uma vez que nem os seguidores mais próximos do grupo o conheciam até a poucos dias atrás.

De família rica, assim como o próprio Edinho, filinnhos de papai; Juscelino radicado na capital São Luís, raramente esteve em Vitorino. Lobão Filho, imoralmente no cargo de senador sem ter recebido um único voto se quer, tendo seus mimos bancados pelo pai, sempre morou em Brasília, e agora, ambos aparecem se dizendo representantes dos povo vitorinense e maranhense respectivamente.

Outro a se manifestar na ocasião foi o ex-prefeito Ribamar Rodrigues, que mesmo sem qualquer cargo político, foi o mais aplaudido pelos presentes.

Para finalizar o teatro de comédia estrelado por Lobinho, houve ainda uma briga e troca de acusações em cima do palanque. A confusão começou quando um dos candidatos falou sobre as obras de pavimentação do povoado Lagoinha, os dois lados se diziam responsáveis pela obra, que por sinal, deveria ter sido feita, mas por disputa política de atribuição, a obra foi suspensa e o povo mais uma vez ficou no prejuízo.

Voltando para a confusão, durante a troca de acusações, e sob vaias do público, alguns candidatos desceram do palanque e Edinho tomou o microfone para tentar contornar a situação. O tiro de Edinho saiu pela culatra, tentou ter o apoio dos dois grupos, mas a tentativa só serviu mesmo para mostrar ao eleitor quem é quem no jogo político.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Coisa de louco.


Um acidente inusitado chamou a atenção hoje em Vitorino. Logo cedo, um homem, não habilitado e que nunca havia encostado na direção de um automóvel, resolveu, inocentemente, testar suas habilidades quando não havia ninguém por perto e acabou causando um prejuízo inesperado.

O carro estava estacionado em um terreno usado como deposito pela prefeitura, de frete para o muro que dá acesso à rua. A arrancada foi tão violenta que fez o carro derrubar o muro, atravessar a rua e só parou após ter derrubado o segundo muro. O caso foi parar na delegacia e o condutor assumiu a responsabilidade pelos danos causados, sorte que não passava ninguém na via no momento, pois poderia ter sido pior.







sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Triste Ano Novo

2014 começa como terminou 2013, com tragédias. Nas primeiras horas do ano novo, um jovem de aproximadamente 23 anos sofreu um violento acidente de moto.  Segundo informações, o jovem pilotava sobre efeito de álcool após ter passado a noite de réveillon na festa da Virada, pela violência da queda, é possível perceber que o mesmo pilotava em alta velocidade e não conseguiu fazer a curva no final da Rua Aparício Bandeira e início da Humberto de Campos. João, como foi identificado, provavelmente perdeu o controle ao passar por um quebra-molas recém construído, quebra-molas este totalmente foras dos padrões, diga-se de passagem. O condutor caiu estendido sobre a calçada da casa próximo à curvo.


Já na tarde do segundo dia do ano, outro condutor perdeu a vida em Vitorino na pista que liga o município a Altamira do Maranhão, o acidente foi entre Vitorino e o povoado São João do Grajaú (popularmente conhecido por Furo). O jovem pilotava uma motocicleta modelo POP 100 e teria colidido com de frende com um carro, com a violência do impacto o homem teve a cabeça decepada, ficando a mesma a aproximadamente cem metros distante do restante do corpo. 

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

2013 chega ao fim com mais um fato a lamentar em nossa cidade

2013 em Vitorino Freire foi um ano marcado lamentavelmente pelo aspecto negativo, houve um perceptível aumento da violência, crimes, assassinatos, a maioria relacionada ao aumento do tráfico e consumo de drogas na cidade. Para piorar, a cidade chorou as mortes trágicas de alguns de nossos jovens que prematuramente nos deixaram. Infelizmente, no último dia do ano, mais uma morte triste e lamentável de um jovem.

Edvan Lima Morais, de aproximadamente 32 anos, foi vítima de um infarto na manhã dessa terça-feira durante uma partida de futebol entre amigos. O jovem foi socorrido e levado às pressas pelos próprios colegas de pelada, chegando ainda com vida ao hospital. Enquanto recebia atendimento, as informações davam conta de que o quadro seria revertido e todos já se acalmavam.

É do conhecimento de todos a precariedade do único hospital da cidade que não dispõe dos equipamentos necessários para reverter um quadro clínico de infarto. Chamou a atenção o desespero de um dos amigos da vítima que reclamava aos gritos e inconformado a ausência de um médico no hospital.

2013 chega ao seu final e esperamos que leve com ele os dias tenebrosos que enfrentamos. Lamentando pelos que partiram, sabendo que a dor da perda diminui, mas não passa tão facilmente, ficando a lembrança dos momentos bons vividos.

Que 2014 seja marcado por conquistas, atitudes positivas, um país mais justo, um Maranhão sem oligarquia e nossa cidade mais justa, segura, com educação, saúde de fato e tudo de bom que esse povo batalhador merece.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Exposição Programa Mais Educação

No último dia 19 no espaço multiuso do Plínio aconteceu a exposição à comunidade das atividades do programa Mais Educação desenvolvidas na Unidade Integrada Matias Mendes de Oliveira, na ocasião, foram realizadas palestras, distribuição do jornal escolar, exposição de artes, danças e capoeira.

As atividades do programa Mais Educação tiveram início no segundo semestre de 2013 e tem como principal objetivo implementar a educação em tempo integral nas escolas do município, é um programa do governo federal em parceria com as prefeituras.

Apesar de já existir em nossa cidade desde 2012, foi no colégio Matias Mendes que o programa teve maior visibilidade através do esforço incansável da professora Nady Janny, coordenadora do projeto na escola, juntamente com a diretora Maria Aires e a diretora adjunta Rosane Guerra. É importante mencionar também os esforços dos monitores voluntários que acompanharam os alunos no desenvolvimento das atividades. estão todos de parabéns.






















quinta-feira, 28 de novembro de 2013

IV Exposição de pinturas em telas do artista Bacana

Acontecerá nos dias 14, 15 e 16 no São Paroquial da igreja Nossa Senhora de Fátima, no centro de Vitorino Freire. Compareça e prestigie o talento de um artista local. O evento terá início por volta das 19h do dia 14  e se estenderá turante todo o dia, nos dias 15 e 16. Todas as telas ficarão expostas e só serão entregues as adquirentes ao final a exposição.


sábado, 16 de novembro de 2013

Nota de utilidade pública

Um homem desconhecido morreu na última quinta-feira (14). O corpo esteve no hospital até a tarde de sexta-feira a espera de algum parente ou conhecido, porém ninguém apareceu para reclamar o corpo. O que se sabe é que ele é de Esperantina Piauí. Caso alguém tenha ida vê-lo, poste as características físicas na parte de comentário para ajudar na identificação.   

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Alarme falso

Suspeita de assalto à agência do banco Bradesco deixa clientes apavorados em Vitorino. O incidente ocorreu agora a pouco por voltas das 14:00 h. A polícia recebeu informação que o banco seria assaltado e imediatamente todas as viaturas se dirigiram para local, ao chegar entraram na agência e os clientes que estavam no interior do banco correram assustados com a movimentação, bem como os pedestres que passagem próximo. O alerta foi estendido também ao Banco do Brasil. Felizmente tudo não passou de um alarme falso.