sábado, 18 de agosto de 2012

Cão que ladra não morde

Ontem foi realizado o primeiro comício da coligação A Força do Povo, que tem como candidata a esposa do ex-prefeito Juscelino Resende. Criaram uma grande expectativa, segundo o que foi anunciado durante toda semana, esse seria o maior comício da história políptica de Vitorino Freire. O barulho foi grande, acordaram a população às 5h da manhã  com um foguetório desnecessário (o outro grupo também fez a mesma coisa). O evento porém não foi pra tanto. Não foi o maior evento político da história de Vitorino. Longe do que era esperado, o que se viu foi muita desorganização. Em fim... poderíamos fazer inúmeras observações e comparações entre o primeiro comício dos dois grupos, mas isso é irrelevante.

Nenhum candidato ganha uma eleição no grito. Toda essa euforia só distorce o real motivo e razão de se realizar um comício. Comício não deve ser direcionado apenas a partidários de um candidato, mas para toda a população que pode e deve ouvir as propostas (quando elas exitem) de cada candidato e escolher o que achar melhor. Mas a grande maioria das pessoas não liga a mínima para o que os candidatos têm (ou não) a dizer. Não questiona se realmente os candidatos terão condições de realizar o que prometem. Os próprios candidatos não têm um plano de governo ou prioridade para quando no cargo estiverem; prometem qualquer coisa, nem eles mesmos sabem o que dizem. Prometem obras que jamais terão condições de realizar. Em um desses comícios, o locutor, antes de passar o microfone a um determinado candidato, disse que o mesmo implantaria um "centro de referência especializado no tratamento do câncer de colo do útero", centro esse que sabemos que não existe nem na capital São Luís. É obvio que essa promessa não será cumprida, não por falta de interesse do governante, mas pelo simples fato de nossa cidade não ter condições técnicas e econômicas para isso. As pessoas, todavia, aplaudem  e se animam com esse tipo de promessa.

Comício por aqui, só serve para falar mal do candidato adversário, fazer farras, para exibicionismos, bebedeira, etc. A disputa acaba sendo pra saber quem coloca mais gente na rua, quem faz mais barulho, quem tem o som mais alto, quem tem o carro mais potente, quem traz a autoridade mais influente, etc. As promessas são sempre as mesmas, e no final, só um será eleito e o povo esquecido.


Um comentário:

  1. Você sabe me dizer se já começou a convocação dos aprovados no concurso para assumirem os cargos?

    ResponderExcluir

Aguarde! Publicaremos seu comentário.