sábado, 21 de janeiro de 2012

Saidinhas de banco


A “moda” do momento no mundo do crime chega a Vitorino, a saidinha de banco. Muitas são as “ocorrências” dessa nova modalidade de assalto. As vítimas são escolhidas ainda dentro do banco por alguem que fica observando e informando o comparsa do lado de fora. Ele avisa quem são as pessoas que saem com uma quantia boa de dinheiro, do lado de fora o comparsa persegue a vítima até encontrar o momento oportuno de atacar. As principais vítimas são pessoas idosos, mulheres e deficientes desacompanhados que aparentemente não teriam condição de resistir ao assalto.

Ontem, em plena luz do dia, mais uma vez esses vagabundos tentaram, covardemente, assaltar clientes do banco. Um senhor que tinha acabado de sair da agência do BB, foi perseguido e abordado em FRENTE à PREFEITURA MUNICIPAL, a alguns metros da DELEGACIA DE POLÍCIA.

O criminoso apontou o revolver para o aposentado e exigiu que este lhe entregasse o dinheiro, o homem resistiu ao assalto, “o meu dinheiro não leva não!”. Segurando a mão e a arma do assaltante o aposentado tentou até que conseguiu sair da frente da arma direcionando-a para o chão. Tudo isso em pleno centro da cidade! Cidade pequena como a nossa que não está acostumada com esse tipo de violência. A vítima, além de ser um senhor já de idade avançada, é também deficiente físico, tem apenas um dos braços e precisou apenas dele para se desvencilhar e escapar do assalto.

Os transeuntes, apavorados com a situação e sem saber o que fazer, até porque existia uma arma preste a disparar a qualquer momento, nada fizeram... até que alguém, arriscando a própria vida, resolveu ajudar o pobre senhor... o homem surgiu de uma oficina que fica ao lado de onde tudo aconteceu; com uma barra de ferro nas mãos, grita para o bandido deixar o senhor em paz e ir embora... o bandido percebendo que tinha perdido a parada, sobe na moto e vai embora.

Algumas horas antes, uma senhora já tinha sido assaltada nas proximidades, acredita-se que pelo(s) mesmo(s) bandido(s). E as autoridades policias? Por onde andavam? Não sei! O que sei... é que é um absurdo uma cidade do tamanho que é Vitorino, onde todos se conhecem, está sendo invadida por estranhos mal intencionados que praticam crimes dessa natureza na cara das autoridades e nada acontece. Fiquemos atentos quando formos ao banco. É bom ir acompanhado e ficar de olho.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Street View em Vitorino

Na manhã da última sexta-feira, dia 06/01 foi visto pelas ruas de Vitorino o Street View, o carro do Google. Não é difícil reconhecê-lo.  O veículo é todo caracterizado: pintado com várias corres e alguns dizeres na lataria "Google", "Street View Maps" e algumas imagens que são comuns nas telas dos nossos computadores,   porém o que mais chama a atenção e curiosidade é o equipamento instalado no teto do carro, trata-se de um conjunto de câmeras especiais que registra toda área em volta num ângulo de 360º. São 15 lentes que juntas formam algo que lembra uma bola de futebol. As imagens captadas pelo Street View são publicadas no Google Maps.

imagem meramente ilustrativa
O veículo possui também sensores de movimento que rastreiam a posição, um disco rígido para armazenar dados, um pequeno computador que executa o sistema e lasers que captam dados 3D e determinam a distância entre as imagens.

Em alguns dias ou meses, não sei, as imagens estarão disponíveis no Google Maps. É possível ver fotos feitas por esse equipamento em todas as cidades da Europa e Estados Unidos, basta ir ao site, escolher um cidade, aproximar até que apareçam as indicações de imagens da rua.

O planeta está cada dia menor... quanta tecnologia! Eu que, de certa forma, sou filho dessa geração tecnológica, digamos assim, me surpreendo com tudo isso!... imagina meus avós, que não fazem ideia do seja o Google e de repente encontram um carro desses pela rua, o que será que vão pensar?!

Enfim... o fato é que dentro de alguns dias Vitorino, que até bem pouco tempo não era localizado nem nas imagens de satélite disponibilizadas também pelo próprio Google, poderá ser visitada virtualmente de qualquer lugar do mundo através da internet.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Réveillon adiado em Vitorino


Comumente ouvem-se nos espaços públicos da cidade pessoas dizendo que “algumas coisas só acontecem em Vitorino”, se isso é de fato verdade ou não, pouco importa (ou importava). Depois do que aconteceu nas comemorações da virada de ano daqui, passei a considerar a possibilidade de realmente algumas coisas acontecerem somente em Vitorino mesmo; isso porque em nossa cidade, assim como em qualquer outro lugar, os preparativos para “a virada” acontecem muito antecipadamente, até aí tudo certo, nada de mais. Porém...

Antes de irmos ao “porém”, me deterei um pouco mais nos acontecimentos que antecedem a virada, preparativos, últimos eventos para fechar o ano velho com chave de ouro, quando o que acontece rotineiramente durante o ano todo e que damos pouca atenção, ganha um ar solene: último amanhecer do ano tal, último pôr-do-sol, último anoitecer, último isso, último aquilo, etc, etc. Neste clima de encerramento de ano, a igreja evangélica Assembleia de Deus, montou um palco para a última Quarta-Feira da Vitória (evento que acontece todas as quartas-feiras desde que a liderança da igreja foi trocada, há uns 2 anos), que por ser a última de 2011, foi realizada na praça central. uma verdadeira festa.

Evento realizado, palco desmontado na mesma noite. No dia seguinte, quinta-feira, portanto, outro palco começa a ser montado no mesmo local, palco que seria usado pelas bandas que animariam a passagem de ano para os vitorinenses (agora por conta da prefeitura). Palco montado três dias antes da festa, rua interditada, tudo pronto! Pessoas nas ruas, praça cheia, visitantes, fogos coloridos, expectativa geral! Não há mais tempo! Últimos minutos de 2011! Contagem regressiva para o Ano Novo... Vivas a 2012, vamos festejar agora! Mas aonde estão as bandas prometidas?! E o show... Não vai começar?!

Exatamente! As bandas não apareceram. Logo correu o boato de que o ônibus teria quebrado na estrada. Mas não eram duas bandas? Os dois ônibus teriam, coincidentemente, quebrado ao mesmo tempo em diferentes lugares ou o mesmo ônibus trazia as duas bandas? Estas perguntas ficarão sem respostas. Já na manhã do dia primeiro, logo cedo, um carro de som circula anunciando que as bandas prometidas para o Réveillon estariam se apresentando “na noite de hoje” domingo, um dia depois, na virada do dia primeiro para o dia dois de janeiro. E assim foi... a ou as bandas se apresentaram no mesmo local, para o mesmo público (teoricamente, já que quase não teve público), com o mesmo objetivo: comemorar a virada de ano, só que um dia depois. Em que outro lugar isso acontece?... Só em Vitorino mesmo!