sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Conselho de Ética do PMDB vai pedir a expulsão de Sténio Resende do partido

A membro do Conselho de Ética Estadual do PMDB, Graça Mendonça, anunciou hoje que, tão logo o deputado Stênio Rezende seja destituído do cargo de líder do Blocão, será pedida a expulsão do seu nome dos quadros do partido.

Hoje, pela manhã, durante inauguração da UPA do Araçagy, a governadora voltou-se para um grupo de deputados e disse que era incomoda a permanência de Stênio Rezende como líder do Blocão, principal e maior bloco de apoio ao seu governo na Assembleia Legislativa.
Stênio Rezende é acusado de receber R$ 1,5 milhão de um consórcio de empreiteiros para apresentar e aprovar um projeto que permitisse a derrubada de babaçuais da zona urbana de São Luís.

O projeto foi aprovado na 1º quinzena de maio deste ano, ocorre porém que a grana teria de ser dividida entre 30 deputados, conforme acerto de Stênio Rezende com os construtores.
Mas o pior de tudo é que os parlamentares não sabiam que estavam sendo vendidos. “Ele nos vendeu a preço de banana. E banana podre”, reagiu ainda pouco um deputado do PMDB ao blog.

3 comentários:

  1. Rapaz, infelizmente não devemos ter a ilusão de que esse episódio do babaçuabunda traga algum resultado positivo pra política maranhense. Nossos ilustres deputados, que agora estão fazendo beicinho, há muito se locupletam com os recursos públicos. Stênio Rezende é só mais um. A governadora, que fala em sua deposição do cargo de fiel escudeiro, é a mesma que na época da CPI do roubo de cargas dizia que não mantinha relações com os envolvidos e não toleraria ladrões ao seu lado. Pois é, o tempo passou e eles continuam todos ao lado dela. Ê Maranhão sem jeito.

    ResponderExcluir
  2. Tenho que concordar com você, meu caro; eles se digladiam em público, mas com certeza estarão todos reunidos na ceia de natal se abraçando e esbanjando tudo do bom e do melhor conseguido às custas do pobre trabalhador maranhense que mal tem o que comer para suprir suas necessidades mínimas de alimentação, o que dirá fazer uma ceia natalina. É revoltante tamanho descaramento.

    ResponderExcluir
  3. O deputado não reclama da propina em si, e sim do valor - 50 mil, se não houve roubo na divisão. Pobres bananas e pobres babaçuais! Essa corja quer acabar até com a poesia do nosso ilustre conterrâneo, Gonçalves Dias, que ilustra esse Blog. Isso é bom, para o povo saber nas mãos de quem ele confiou o seu voto. Eles levam a sério a sigla da secretaria que arrecada impostos: SEFAZ.
    Um feliz ano novo a todos, e muito juízo e critério na hora de votar de novo!

    Edvalson B. Silva (Mocoin)

    ResponderExcluir

Aguarde! Publicaremos seu comentário.