quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Brasil corrupção

9 comentários:

  1. Eis uma verdade cantada por Ana Carolina e escrita Ela e Seu Jorge
    Neste Brasil corrupção
    pontapé bundão
    puto saco de mau cheiro
    do Acre ao Rio de Janeiro
    Neste país de manda-chuvas
    cheio de mãos e luvas
    tem sempre alguém se dando bem
    de São Paulo a Belém
    Pego meu violão de guerra
    pra responder essa sujeira
    E como começo de caminho
    quero a unimultiplicidade
    onde cada homem é sozinho
    a casa da humanidade
    Não tenho nada na cabeça
    a não ser o céu
    não tenho nada por sapato
    a não ser o passo
    Neste país de pouca renda
    senhoras costurando
    pela injustiça vão rezando
    da Bahia ao Espírito Santo
    Brasília tem suas estradas
    mas eu navego é noutras águas
    E como começo de caminho
    quero a unimultiplicidade
    onde cada homem é sozinho
    a casa da humanidade

    Fico confusa em vir que todo brasileiro tem consciência dessa podridão e não temos coragem de tomar uma atitude radical

    ResponderExcluir
  2. Não podes deixar de aqui colocar também com a Ana Carolina escrito por Elisa Lucinda Só de Sacanagem
    Ana Carolina
    Meu coração está aos pulos!
    Quantas vezes minha esperança será posta à prova?
    Por quantas provas terá ela que passar?
    Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais.
    Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.
    Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova?
    Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?
    É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.
    Meu coração tá no escuro.
    A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam:
    " - Não roubarás!"
    " - Devolva o lápis do coleguinha!"
    " - Esse apontador não é seu, minha filha!"
    Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar. Até habeas-corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar, e sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará.
    Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda eu vou ficar. Só de sacanagem!
    Dirão:
    " - Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo o mundo rouba."
    E eu vou dizer:
    "- Não importa! Será esse o meu carnaval. Vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos. Vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau."
    Dirão:
    " - É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal".
    E eu direi:
    " - Não admito! Minha esperança é imortal!"
    E eu repito, ouviram?
    IMORTAL!!!
    Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quiser, vai dar pra mudar o final.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. http://www.youtube.com/watch?v=U827-T4QM84&feature=share

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Tenho um programa aos sábados, das 9 às 10h30min., numa Rádio Comunitária aqui em Planaltina, Distrito Federal. A Rádio Utopia FM pode ser acessada pela internet através do site www.dissonante.org. No programa de sábado passado (27 de agosto) li, só de sacanagem, esse texto da jornalista Elinda Lucinda. É a expressão, o grito sufocado contra toda a corrupção que assola nosso país, onde os políticos sentem-se tão à vontade para roubar o erário, que vão à TV falar que a apuração é "perseguição política" e se os fatos denunciados forem apurados os partidos abandonam a "base de apoio", deixando de votar projetos do governo. E o interesse de quem os colocou lá... do povo? Ah, eles que se lixem! Tripudiam da nossa inteligência. Será que eles acham que ninguém está vendo isso? Sou obrigado a admitir que isso é consequència da impunição por coisas como o "mensalão do PT", até hoje não resolvidas nem julgadas e outras que a imprensa denuncia diariamente! Tem de apurar, julgar, punir e obrigá-los a devolver tudo que foi roubado!

    Mocoin

    ResponderExcluir
  7. Somos obrigados a admitir que a "impunição" impera em nosso país, mas não somos obrigados a ficar calados. Quanto mais nos unirmos e quanto mais trabalharmos consciência política em nossos escolas, um dia quem sabe, conseguiremos mudar o cenário político dessa nação. Eu acredito nisso.

    ResponderExcluir
  8. O que fazer diante dessa decisão? Gargalhar... País da impunição, de dois pesos e duas medidas:
    Edição do dia 31/08/2011
    31/08/2011 07h59 - Atualizado em 31/08/2011 08h51
    'Eleitores absolvem pelo voto os que têm ficha suja', diz Alexandre Garcia
    'O contingente que votou a favor de Jaqueline Roriz representa milhões de eleitores que não se importam com o vídeo do dinheiro clandestino', afirma.
    imprimir

    Prevaleceu o chamado espírito de corpo. Ao todo, 265 deputados tinham no espírito a seguinte lembrança: “Jaqueline, eu posso ser você amanhã. Então, podem descobrir alguma coisa do meu passado, quando eu não tinha mandato de deputado federal, e pedir a cassação”.
    Foi uma recusa enfática: os 265 que negaram são muito mais que os 257 que precisariam aprovar o pedido de cassação. A tese de que o passado não importa ganhou longe dos minguados 166 votos a favor do espírito da lei da ficha limpa: “O passado importa, sim. Quem tiver malfeitorias no passado não pode ter mandato”.
    Na verdade, neste Brasil real, o que temos visto é que os eleitores absolvem pelo voto os que têm ficha suja. Como se sabe, em democracia o que vale é a vontade do povo. Na teoria, o contingente que votou a favor de Jaqueline Roriz representa milhões de eleitores que agora se manifestam, de forma indireta, que não se importam com o vídeo do dinheiro clandestino.
    A própria deputada confirmou que recebeu e usou na campanha para ter o mandato, que na terça-feira (30) foi confirmado. O problema é que, no voto secreto, o eleitor não fica sabendo se seu representante realmente o representou.

    ResponderExcluir
  9. Com essa "impunição" entre a irmandade do congresso, daqui a pouco vou escrever essa palavra de outro jeito: impunidade, como seria o correto. Mas considerem o neologismo como "licença poética".

    ResponderExcluir

Aguarde! Publicaremos seu comentário.