quinta-feira, 14 de julho de 2011

O poder da novidade

Está acontecendo em Vitorino mais um “super queimão” do Armazém Paraíba. Há uma ampla divulgação em carros de som. Aqui é assim! colocou na volante é sucesso na certa; seja festa de igreja, inauguração de ótica (que virou febre em Vitorino), aniversário do cachorro de algum político, e com o “super queimão” do Paraíba não foi diferente, mais uma vez está sendo um sucesso de vendas. Loja lotada, muita gente comprando e disputando a tapa os artigos a venda, etc. etc. enfim, o objetivo dos empresários está sendo alcançado, mas há um pequeno detalhe que é importante observar e que muitas vezes o consumidor não dá muita importância. Refiro-me ao preço que, disfarçado sob a chamativa denominação de PROMOÇÃO, continua o mesmo, caso o produto seja “bom” e esteja em voga no mundo da moda do momento pode ser até maior, mas quase nunca acontece, pois os produtos que aqui chegam são os que os consumidores de outras cidades já rejeitaram há muito tempo. Sandálias, tênis e sapatos com numeração mínima e sujos (ponta de estoque, rejeito); o mesmo se percebe na área de confecção: calças, camisas, blusas femininas, etc., de qualidade duvidosa e nem por isso a preços baixos. As palavras mágicas PROMOÇÃO e PRODUTO DE FORA (como se o comércio local só vendesse produtos produzidos aqui mesmo) leva muita gente a comprar o que não é tão urgente a preços iguais ou até maior que no comércio local, sem falar na qualidade duvidosa e quase sempre fora de moda (apesar de achar que a moda é muito subjetiva). Em cidades maiores esses produtos realmente sairiam a preços baixos de verdade. Acontece que os administradores do Paraíba tiveram uma boa sacada, perceberam que o que está mofando nas grandes lojas por falta de procura, pode ser novidade em cidades menores; apostam no evento, na divulgação e na “novidade” e as pessoas caem... shorts masculinos, desses de tecido simples, a 59 reais, calças jeans a 179 reais, tênis de marca desconhecida a duzentos e tantos reais... vai enganar outro, mas não eu! Se aproveitam da ingenuidade do consumidor vitorinense que paga sem reclamar pra ficar na moda do verão passado.

Um comentário:

  1. Gostei...rsrsrsrsrsrsrsrsrsr........... e ainda tem babacas q acabam caindo nessa..... ho!!!!!!! q dó

    ResponderExcluir

Aguarde! Publicaremos seu comentário.