terça-feira, 28 de junho de 2011

Mini convenção

No ano em que é comemorado o centenário da igreja mãe das Assembleias de Deus em Belém, uma de suas filhas, a assembleia de Deus de Vitorino Freire, recebeu a segunda mini convenção estadual das Assembleias de Deus de sua história.



Nos dias 22, 23 e 24 a cidade viveu um momento de grande euforia, centenas de pastores de todas as partes do Maranhão estiveram em Vitorino para deliberações concernentes ao futuro da instituição religiosa.

As ruas próximas à igreja foram tomadas por carros. Nos intervalos da programação, homens em terno e gravata passeavam pelas ruas sob o sol escaldante da nossa cidade; à noite o evento era aberto ao público, mas só conseguia acompanhar na íntegra quem chegava cedo para garantir um lugar dentro do templo, os que chegavam depois tinham que se contentar em assistir das janelas ou visitar os estandes instalados no estacionamento.

A organização chamou a atenção tanto dos visitantes quanto dos fiéis afeitos e esse tipo de evento. Não querendo entrar nas discussões e resoluções polêmicas que vazaram das reuniões fechadas, acredito que estão todos de parabéns; eventos dessa magnitude só tendem a contribuir para uma maior visibilidade da nossa cidade Brasil a fora.

sábado, 18 de junho de 2011

Um ano sem Joelma

 Faz um ano que Joelma foi assassinada. Há um ano a jovem Joelma era brutalmente arrancada do seio de sua família e amigos. O crime causou grande comoção popular e hoje, um ano depois, a lembrança ainda é forte e ainda paira um ar de indignação na sociedade vitorinense.

O que leva uma pessoa a achar que tem direito de tirar a vida de outra? Qual a explicação para tanta brutalidade?... Qualquer tentativa de resposta serão apenas palavras soltas ao vento; não há explicação, não existe qualquer argumento capaz de justificar tamanha violência.

Atualmente pouco se sabe sobre o andamento processual do caso Joelma e do paradeiro do assassino. Há quem diga que o assassino está preso, outros dizem que fugiu da prisão. Fato é que após alguns meses foragido, o assassino foi capturado em Goiânia e transferido para São Luís onde supõe-se que esteja no momento.

É claro que a devida punição para o criminoso amenizará a dor da família, mas seja qual for a pena, nada trará Joelma de volta e nem acabará com a dor e o vazio da perda.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

II Exposição de pinturas em tela

No último domingo aconteceu no centro paroquial de Vitorino a II Exposição de Pintura em Tela do artista Bacana. Foi apresentado ao público um acervo inédito de pinturas. Belos e inspirados quadros, um em especial, faz referencia a Maria Clara, filha recém nascida do pintor. Inicialmente a exposição estava prevista para acontecer apenas no domingo, mas para que mais pessoas pudessem visitar, a exposição foi estendida até segunda-feira.
 

domingo, 12 de junho de 2011

Quilombolas fazem greve de fome no Maranhão por segurança e justiça no campo

Desde o dia 3 de junho, um grupo de quilombolas está acampado na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), no Maranhão, para pressionar o governo a solucionar os conflitos por terra e as constantes ameaças por alguns fazendeiros da região. Nesta sexta-feira(10), após participar do Seminário Estadual em Defesa dos Direitos das Comunidades Remanescentes de Quilombos, em Belém (PA), o deputado Domingos Dutra (PT/MA) se reuniu com os manifestantes e representantes do Incra para que haja ações favoráveis as reivindicações.

Indignados pela ausência do Poder Público no Estado do Maranhão, 14 quilombolas estão em greve de fome reivindicando uma audiência com os ministros do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, e da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. Os quilombolas reclamam sobre a falta de atenção aos ameaçados de morte no campo.

Buscando acalmar os ânimos, o Deputado Domingos Dutra atuou como mediador da situação. Esteve reunido com autoridades do Executivo Federal e do Incra-MA. O parlamentar, primeiro vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minoria, contatou a Ministra Maria do Rosário a qual se dispôs a receber uma comitiva dos quilombolas no próximo dia 22.

“Acredito que o impasse será solucionado após reunião com os ministros. O nosso governo tem que honrar as dívidas do Estado brasileiro com índios, quilombolas e com os negros. É necessário ampliar os recursos para que o Incra e a Fundação Nacional do Índio (Funai) cumpram suas funções”, destaca o Deputado o qual acrescenta a necessidade de extinguir as indicações políticas para as direções dos dois órgãos.


Salis Chagas
Assessoria de Imprensa do Deputado Domingos Dutra (PT/MA)

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Noite gospel

Esteve em Vitorino na noite de hoje (06/06) o cantor Welington Camargo, imão de Zezé de Camargo e Luciano; diferentemente dos irmãos, Welington é mais popular no meio gospel. Tornou-se nacionalmente conhecido quando foi seqüestrado em dezembro de 1999.

A apresentação foi na praça central da cidade e atraiu muita gente. Esta foi sua segunda passagem pela cidade. Já esteve em Vitorino há aproximadamente uns dez anos. O cantor fez questão de recordar a primeira vez que esteve aqui. Perguntou ao público quantos estiveram na vez passada. 

Após algumas músicas, encerrou a apresentação, mas antes distribuiu alguns CDs para a multidão e pacientemente atendeu a todos os pedidos de fotos e autografos.  


quinta-feira, 2 de junho de 2011

Folclore maranhense

Mês de junho chegou e com ele muito sol e muito vento. Os dias cinzentos de chuva passaram, a monotonia do inverno agora dá lugar às festividades e manifestações folclóricas do mês de junho. Refiro-me ao bumba-meu-boi, manifestação popular que agrega todos os seguimentos da sociedade e que encanta adultos e crianças.

Já se ouve pela cidade o burburinho dos ensaios, espera-se uma bonita festa, à altura da que estamos afeitos a ver. A mobilização em torno das festas juninas, em nossa região, supera em muito o carnaval, que por sua vez, tem se transformado a cada ano em uma festa para alguns que podem pagar pela diversão.

Esperamos que não elitezem também as festas juninas e que esta não deixe de ser uma festa do povo para ser uma festa de endinheirados querendo lucrar um pouca mais, fazendo da festa um comércio, e que os organizadores respeitem os elementos da tradição e não façam como em vezes passadas em que até dança de rua e break fizeram parte das apresentações.