sexta-feira, 6 de maio de 2011

Águas de maio

O mês de maio começou com muita chuva. São Pedro está invicto com os vitorinenses, pois ainda não tivemos um dia/noite sem chuva.  Para nós, maio está sendo um mês atípico, deveríamos estar já no final do período chuvoso, porém, não é o que se vê. O sol até aparece, e com força, em alguns momentos do dia, mas quando menos se espera, o tempo fecha para o desespero das donas-de-casa que têm que correr para tirar as roupas do varal, muitas vezes já debaixo de chuva. Por causa da chuva, as pessoas tendem a ficar mais tento em suas casas o que, conseqüentemente, gera um reflexo negativo no comércio local; mas não só o comércio, propriamente dito, sente os efeitos da chuva, também os clubes de dança, as igrejas, os moto-taxistas e outros seguimentos da sociedade que não deixam de ser uma forma de comércio e que também dependem da circulação de pessoas para se manter.

Um comentário:

  1. A chuva é sempre bem-vinda. Gera o círculo da produtividade, do plantar e do colher. Mas no Nordeste o problema chama-se goteiras, a maioria das casas tem problema sério no telhado. Confissão: tenho muita saudade do tempo de criança quando chovia e eu corria para tomar banho na bica da minha avó com meus irmãos. Bons tempos.

    Salis Chagas - Jornalista

    ResponderExcluir

Aguarde! Publicaremos seu comentário.